top of page
Buscar
  • alexsandro araujo

Nunca mais dependa de empréstimos: E se livre das dívidas!



Com orientações adequadas, é viável superar a situação financeira negativa e alcançar a independência financeira.


Muitos brasileiros enfrentam o desafio de quitar dívidas e empréstimos, o que requer um planejamento cuidadoso e disciplina financeira. Segundo a CNC, 78,5% das famílias brasileiras estão endividadas, com 18,5% dessas famílias se considerando "muito" endividadas. Além disso, um estudo do Sebrae com o IBGE mostrou que apenas 3 em cada 10 empresários que buscam empréstimos conseguem sucesso. Esses números ambíguos criam um ciclo de dívidas, onde muitas vezes os empréstimos são usados para pagar outras obrigações financeiras.

Rogério Brandão, planejador financeiro, mentor sênior e acionista da Serafin, destaca a importância de priorizar os débitos, especialmente aqueles com taxas de juros mais altas, visando economizar dinheiro a longo prazo. Ele recomenda estabelecer um orçamento realista que leve em consideração a renda e as despesas mensais, reservando fundos extras para pagar os débitos. Além disso, otimizar os gastos, como reduzir despesas com entretenimento, refeições fora de casa e compras supérfluas, pode liberar recursos adicionais. Para melhorar a situação financeira, Brandão sugere aumentar a renda por meio de empregos adicionais, venda de itens não utilizados ou desenvolvimento de habilidades para obter uma renda extra. Essas estratégias podem ser eficazes para alcançar estabilidade financeira.

Segundo o especialista, é essencial criar um fundo de emergência para evitar acumular mais dívidas em situações imprevistas. Além disso, a negociação com os credores é crucial, pois muitos estão dispostos a reduzir as taxas de juros ou aceitar valores menores. A consolidação e refinanciamento de empréstimos também podem ser considerados para obter taxas de juros mais baixas e termos de pagamento favoráveis. As dívidas podem surgir de diversas razões, como emergências médicas, consertos inesperados e danos à casa. É importante estar atento a esses motivos para evitar desafios financeiros e o acúmulo de débitos não pagos.

Conforme apontado por Brandão, o desejo de manter um estilo de vida acima da renda disponível pode levar a gastos excessivos, impulsionados por compras impulsivas e pela falta de um orçamento sólido. Além disso, a pressão social e a influência da publicidade, muitas vezes amplificadas pelas redes sociais, podem levar as pessoas a gastarem mais do que deveriam em busca de status e aceitação social. A falta de educação financeira também é um fator crítico, pois o desconhecimento sobre a gestão eficaz do dinheiro aumenta o risco de tomar decisões financeiras prejudiciais. É importante buscar conhecimento e desenvolver habilidades de gestão financeira para evitar problemas financeiros.


Para resolver o problema das dívidas e melhorar a situação financeira, algumas medidas podem ser tomadas:


Priorizar os débitos: Concentre-se em pagar as dívidas com taxas de juros mais altas primeiro, para economizar dinheiro a longo prazo.


Estabelecer um orçamento realista: Considere sua renda e despesas mensais ao criar um orçamento. Aloque fundos extras para pagar as dívidas.


Otimizar os gastos: Identifique áreas onde é possível reduzir despesas, como entretenimento, refeições fora de casa e compras supérfluas. Isso pode liberar recursos adicionais para pagar as dívidas.


Aumentar a renda: Considere opções como buscar empregos adicionais, vender itens não utilizados ou desenvolver habilidades para obter uma renda extra.


Criar um fundo de emergência: Tenha uma reserva financeira para lidar com despesas imprevistas e evitar acumular mais dívidas.


Negociar com os credores: Entre em contato com os credores e explore a possibilidade de redução de taxas de juros ou aceitação de valores menores.


Considerar a consolidação e refinanciamento de empréstimos: Avalie a opção de consolidar várias dívidas em uma única, com taxas de juros mais baixas e termos de pagamento favoráveis.


Lembrando que cada situação financeira é única, então é importante buscar orientação de um profissional especializado para encontrar a melhor estratégia para resolver o problema das dívidas.


19 visualizações

Comments


bottom of page